X
Menu
X

Tempo de Consagração e manifestações do Espírito, foi assim o terceiro dia de JPN 2018

O terceiro dia pela manhã, do Jovens Para as Nações 2018 iniciou com um momento de oração poderoso com o ORE JPN e, logo após, seguiu o momento de louvor e adoração com o grupo de música do departamento de adolescentes da sede. Foram também apresentados alguns projetos como o “Juntos por Onde Formos”, de Arthur Silva e Camila Galvão, casal de missionários que iniciarão uma nova obra em Roma, na Itália; assim como também foi apresentado o projeto “Convictos School”, que é feito nas escolas de Olinda-PE, no qual é levada a Palavra para os alunos; e também o projeto “Transformação”, implantado no Catolé de Zé Ferreira, em Campina Grande – PB, no qual trabalha com as crianças do bairro e, iniciará atividades com as mães das crianças.

JOÃO ROBERTO

Na oportunidade, o Pr. João Roberto pregou a Palavra de Deus no primeiro momento de ministração. Ele usou como exemplo o Super-Homem, mostrando que assim como ele os crentes também têm super poderes, só que mais poderosos, e a Kriptonita do crente é o pecado.

“O Super-Homem não é deste mundo. Nós também não somos. Ele possui poderes sobrenaturais que seres normais não têm. A Bíblia diz que nós somos sobrenaturais, ainda mais forte que o super-homem, porque não estamos ligados a um planeta, mas a Deus. O Super-Homem luta contra o mal. Ele protege aqueles que são oprimidos pelos vilões. E assim, nós fomos chamados para libertar os cativos e oprimidos do diabo. Existe uma coisa que torna o Super-Homem uma pessoa comum, algo que o vence, a kriptonita. Essa era a única arma que os inimigos tinham contra ele. “A kriptonita que pode parar o cristão é o pecado”, disse ele.

Ele explica que satanás, sabe que não tem como nos derrotar de outra forma, logo a sua tentativa consiste em incitar o cristão a pecar, então ele citou a vida de Davi, na qual o diabo sabia que não podia contra ele, pois este tinha grande fé a ponto de derrotar Golias, então sua arma foi incitar Davi ao pecado. E esta é a esperança do inimigo da nossa alma, nos fazer prevaricar, que é ter um desejo forte de ter ou fazer aquilo que Deus não aprova.

O pastor João Roberto cita então a Acã, um homem que apesar das instruções de Deus, prevaricou e assim toda a sua tribo foi alvo da ira do Senhor. Ele cita também a vida de Daniel e seus amigos como Jovens para as Nações, no qual decidiram não se contaminar com as iguarias do rei, eles decidiram não prevaricar e a consequência para isso foi serem achados como 10 vezes mais sábios.

“Você não precisa comer as migalhas de satanás. Nós somos abençoados com todas as sortes de bênçãos espirituais. Eu acredito que um dos motivos de Daniel não ter cedido às tentações é porque ele se associou às pessoas que faziam a fé dele mais forte: Sadraque, Mesaque e Abednego.  Você pode ser usado onde você está, só não pode negociar sua santidade.”

Antes do intervalo entre as ministrações houve o momento de honra ao pastor João Roberto por seu aniversário de 50 anos, que todos os anos é durante o JPN, no qual foi passado um vídeo em sua homenagem, como houve também o momento de fala da sua esposa e filhos.

JOÃO GABRIEL

João Gabriel iniciou a sua ministração testemunhando a respeito de sua vida com Deus. Ele contou que certo dia teve uma visão de uma vela com uma chama que oscilava até virar apenas uma brasa, e que logo após nela um fogo começou a crescer, e este fogo não mais oscilava, mas crescia de forma constante. Durante o Rhema ele pode entender essa visão, e ela dizia a respeito da história da igreja, na qual a chama oscilante era a igreja primitiva, a brasa, o período da Era das Trevas, e a chama crescente é a geração atual.

“O mesmo Deus que operou em Atos dos Apóstolos, está disponível hoje. A unção não morreu com eles. Não vivemos por aquilo que vemos, vivemos por aquilo que cremos. Vamos viver algo não somente parecido com o que eles viveram no passado, mas vamos viver algo muito maior.”

João Gabriel fala que um dos problemas desta geração é o desejo pelo imediatismo, ele explica que é preciso respeitar cada processo e cada etapa que há na vida do cristão, pois são estes que moldarão o caráter e levará o cristão a ocupar o lugar que Deus preparou para ele. Para isso, fala João Gabriel, é preciso que haja nos jovens consciência, sendo esta consciência de sua identidade e de seu propósito, e é isso, segundo ele, que falta nos jovens desta geração, muitos estão perdidos sem saber que eles são e o que eles podem. Assim falta também a consciência do Poder de Deus, e que por muitas vezes não estamos usando o Poder em sua capacidade plena. Então ele cita Billy Graham, como um homem que um dia teve consciência do seu propósito e de quem ele era, e assim se tornou um dos maiores homens de sua geração, mas para tanto ele teve que orar dizendo “eu renuncio a tudo”.

“Se for para ser parcial, é melhor nem ser. Com Deus ou você é, ou você não é. Hoje é 21 de Julho de 2018. Guardeessa data. Muitos de nós estamos disponíveis a fazer essa oração: me torna o Billy Graham dessa geração, ou o Kenneth Hagin. Mas o que realmente precisamos orar é: eu renuncio tudo.”

 

Assim centenas de jovens foram levados a se ajoelhar e se consagrar plenamente ao Senhor nesta manhã, entregando tudo ao Senhor para cumprirem o chamado e o propósito de Deus para sua vida.

 

NOITE

A noite do terceiro dia de JPN Brasil 2018 se iniciou com a ministração de Louvor e Adoração com Filipi Rodrigues, que nesta noite estava lançando o seu mais novo álbum intitulado “Jesus”, logo após houve o testemunho do missionário da Alemanha, Esdras, de como ele teve o tendão de sua perna restaurado através de uma transmissão do JPN. Foi também apresentado a turma da Escola de Missões 2018 e seu objetivo de fazer uma viajem transcultural para o Uruguai e para a Argentina, assim como também para anunciar a abertura das pré-inscrições para a turma 2019.

Seguindo, o Pr. Augusto Bandeira inicia a preleção com um momento profético, orando por mulheres que não poderiam ter filhos, por jovens que vieram sozinhos de sua igreja, por jovens que, especificamente, ao olhar o cartaz disse que iria ao evento para receber da unção do Jovens Para as Nações. E assim ele iniciou a sua preleção.

 

Deus me colocou aqui para despertar chamados” 

Ele fala que o que nós somos feitos não é baseado no nosso físico, mas no nosso interior, no espírito do homem, e que, apesar de sermos feitos do barro, a natureza do cristão é uma natureza superior, a natureza de Deus.

Logo após, a curta palavra o Pr. Augusto Bandeira iniciou um momento de imposição de mãos sobre os jovens participantes e voluntários do evento como uma forma de transferência de unção sobre eles, levando centenas de jovens a experimentarem as manifestações do Espírito.

 

Após o momento de imposição de mãos o Pr. Léo Lima iniciou a segunda parte da noite.

“Precisamos mesmo do fogo do Espírito para levar o Evangelho às nações”

Testemunhando um pouco sobre o início de carreira espiritual, de como conheceu o Ministério Verbo da Vida e como foi chamado para levar o Evangelho a Argentina. Ele cita que tinha medo de tirar suas raízes de sua cidade natal, mas o Senhor lhe perguntou “Você quer o teus planos, ou os meus planos para você”, e assim ele decidiu se entregar completamente ao chamado, e em um culto do JPN o ministrante o fez levantar e confirmou o que já estava no seu coração, que era a nação Argentina.

Pr. Léo falou também da importância de uma liderança espiritual para “domar” e assim canalizar o potencial que há em cada um de nós. Então, ele citou Paulo que tinha o testemunho para levar em sua missão, e assim é com todos o que tem chamado, que o bom testemunho criará conexões. Ele conta que quando foi na Argentina pisar na terra, o que ele fez foi trabalhar, e com isso mostrou que o trabalho é o que demonstrará a convicção que você tem a respeito do seu chamado, e o trabalho trará qualificação para cumprir o propósito de Deus. O trabalho também trará fruto e, com frutos ninguém poderá argumentar contra você, pois, apesar de Deus conhecer o coração, o homem precisa ver os frutos.

 

“Missões não se faz de baixo de emoção, missões se faz de baixo de convicção. ‘Porque Deus tem algo comigo, eu me consagro; porque Deus te algo comigo, eu me santifico’. Isso não é emoção, é convicção daquilo que Deus tem para sua vida.”

 

Pr. Léo ensinou aos jovens a importância de honrar à sua liderança, testemunhando como a porta do Rhema na Argentina foi aberta para ser implantada pelo Rhema no Brasil, o qual ele não precisou fazer força, mas a honra que ele sempre teve aos seus líderes lhe fez ser honrado também em Buenos Aires, não somente com o Rhema, mas em tudo que ele tem feito.

Esta noite foi também de salvação e, com o apelo mãos foram levantadas e, mais jovens se voltaram a Cristo, O aceitando como Senhor e salvador da sua vida.

 

 

Compartilhe
Tags

Postagens Relacionadas

Uma grande festa das nações! Assim foi o encerramento do #JPN2018 Autorresponsabilidade e Preparação foram as notas ressaltadas nos workshops no #JPN2018 Jovens ajoelhados aos pés do Senhor, foi assim que ficou marcada a segunda noite do #JPN2018 É hoje! O Brasil se encontra aqui… no 11º JPN
Deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Please type the characters of this captcha image in the input box

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada