X
Menu
X

Page 3

Fé e perseverança Marcela Chianca (Adaptado da mensagem ministrada em 02/09/2018) – Clique aqui e ouça o áudio desta ministração “Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão. Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa. Porque, ainda dentro de pouco tempo, aquele que vem virá […]
O propósito da obediência
Deus, em toda a Sua Palavra, revela Seu amor pelo homem. Mas o que seria, para Deus, amá-lO? Em João 14:15 está escrito: “ Se me amardes guardareis os meus mandamentos” e no versículo 23 diz: “ respondeu-lhe Jesus: Se alguém me amar, guardará a minha palavra e meu Pai o amará, e viremos a ele e faremos nele morada.” Está claro que a expressão do amor é guardar a Palavra, o mandamento de Cristo. E guardar significa: obedecer, considerar e cumprir. Logo, a manifestação do nosso amor a Deus é a obediência.
Como descobrir o seu chamado
Muitos cristãos, hoje em dia, estão muito aquém ou distantes do propósito da sua vida. Alguns porque perdem tempo com dilemas, como o de saber se tem um chamado ministerial (apóstolo, profeta, evangelista, pastor e mestre), outros porque simplesmente negligenciam algumas informações que são simples e, ao mesmo tempo, poderosas da Palavra de Deus.
Mergulhados em Cristo
Quando falamos em igreja, a nossa mente natural logo se volta para um local, para um templo, para um ajuntamento de pessoas, e não deixa de ser. Porém, mais que um ajuntamento de pessoas, a igreja somos nós que fomos comprados, remidos, lavados pelo sangue de Jesus Cristo, e também fomos imersos (batizados) no Corpo de Cristo. E quando falamos em imersão, estamos dizendo que fomos mergulhados, inseridos para tomarmos o gosto (nos tornamos novas criaturas) “as coisas antigas já passaram, eis que se fizeram novas” (2 Coríntios 5:17b).
Relacionando-se com Jesus
Um dia, ouvimos a Palavra de Deus e fé chegou aos nossos corações. Ficamos sensíveis ao Espírito Santo e Jesus passou a fazer morada em nós, através do convite que nos foi feito (João 14:23). Com isso, passamos a viver a alegria do "primeiro amor", como alguns gostam de dizer. Mas, às vezes, com o passar do tempo, deixamos de depender do Espírito Santo e nos tornamos técnicos devido ao vasto conhecimento que já temos ou ativismo religioso em nossas vidas.