X
Menu
X
Igreja Evangélica Verbo da Vida
Fortaleza - CE

Deus é amor e o amor é Deus

Em 1 João 4.8, o apóstolo do amor, como João era conhecido, afirma que se alguém não ama, não conhece a Deus, pois Ele é amor. Este atributo é sua natureza, Ele é amor eterno, despretensioso, sacrificial, longânimo e puro.

A nossa criação foi envolvida por esse amor. Deus preparou toda a terra para nos receber e nos criou à sua imagem, sem reservas no relacionamento conosco. O erro da separação cometido por Adão e Eva não foi suficiente para Deus desistir de nós. Ele estabeleceu alianças e cultivou, mesmo parcialmente, a relação amorosa com aqueles que o reconheciam. Mas isso não era suficiente, a vontade de Deus era a integralidade relacional e somente um ato extravagante para conseguir isso. Sacrifício maior não teria do que entregar seu filho ao sofrimento, dor, separação temporária por aqueles que nada mereciam(João 3.16).

Dessa vez o sacrifício foi perfeito assim como Deus é perfeito, e o resultado foi o retorno à nossa condição original, filhos de Deus e cidadãos do Seu Reino. Aquele que é amor compartilhou de Seu Espírito conosco e por meio dele o Seu amor foi derramado em nossos corações.

Algumas religiões tentaram aprisionar esse amor nos rituais e tradições, mas isso é impossível. Os fariseus são talvez nosso exemplo mais claro sobre essa prática, mas eles não são os únicos, mesmo depois da vinda de Jesus e de nossa redenção, alguns de nossos irmãos associam o amor a procedimentos mecânicos, negligenciando o exemplo perfeito do amor, Jesus encarnado.

O filho primogênito nos deu o comando de amarmos uns aos outros como Ele nos amou (João 13.34; João 15.12; João 15.17). Ele nos ensinou que o amor não está baseado no que vemos, vestimos ou temos. Ele nos disse que esse é nosso único débito com o outro, o de amá-lo (Romanos 13.8) e para garantir que não erraríamos o alvo, descreveu a importância desse amor e o descreveu em detalhes: Mesmo que eu entregue meu corpo para ser queimado, sem amor de nada adiantaria. Mesmo que minha fé seja o suficiente para mover montanhas, se eu não manifesto o amor de Deus aos outros eu nada sou. O amor suporta pacientemente e com serenidade, ele não é rude nem tão pouco orgulhoso, ele não considera o mal feito a si, mas se alegra quando a justiça prevalece. O amor também não pensa o pior do outro, mas pelo contrário, consegue enxergar em cada pessoa um potencial de mudança e crescimento (1 Coríntios 13). Tal descrição e detalhamento nos garante conhecer minunciosamente o caminho do amor.

Além disso, a nossa condição de filhos nos concede a benção de sermos como Ele, a sua imagem e seus representantes. Neste sentido, se Ele é amor nós também o somos. Assim como Jesus fez enquanto esteve como homem, nós expressaremos o Pai/Amor aos outros. Ao nos encontrar as pessoas encontram Deus em nós. Ao experimentamos o amor divino, estamos experimentando Deus, porque Ele é amor. Ele é a bússola no caminho da verdade e somente quando estamos nesse caminho, em Sua presença conseguimos refleti-lo ao mundo.

Selma Alcântara

Compartilhe
Deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Please type the characters of this captcha image in the input box

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>