X
Menu
X
Igreja Evangélica Verbo da Vida
Recife - Zona Norte

DESENVOLVENDO MATURIDADE ESPIRITUAL 2 | Pr. Humberto Albuquerque | 24/02/2019

Na tarde deste domingo (24/02), dando continuidade a série de estudo sobre “Desenvolvendo Maturidade Espiritual”, o pastor Humberto Albuquerque tratou sobre a importância de amadurecermos, controlando a nossa carne, para vivermos coisas maiores em Deus neste ano, através da submissão aos processos do Espírito. “Se deixarmos de nos alimentar com os fundamentos da Palavra, não estaremos aptos a digerir o alimento sólido.”

A maturidade espiritual não está relacionado apenas a ouvir a Palavra, e sim a vivê-La. Assim como acontece naturalmente, à medida que o filho amadurece surge o desejo de dialogar mais com os pais, à medida que amadurecemos, temos a necessidade de conversar com nosso Pai Celestial. Oração é sinal de maturidade. Uma das características de um cristão maduro é a consciência da dependência do seu Pai. Todo esse processo de amadurecimento trazido pelo conhecimento da Palavra deve gerar dependência de Deus, caso contrário, apenas aguça em nós, o instinto religioso. Conhecimento sem prática nos leva a um lugar de orgulho.

Efésios 4.7-14:
Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo.

Por isso é que foi dito: “Quando ele subiu em triunfo às alturas, levou cativo muitos prisioneiros, e deu dons aos homens”.
(Que significa “ele subiu”, senão que também descera às profundezas da terra? Aquele que desceu é o mesmo que subiu acima de todos os céus, a fim de encher todas as coisas.)

E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.

O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. Precisamos desenvolver maturidade espiritual. Tem coisas grandes nos esperando. Precisamos crescer, como nos aponta 1 Coríntios 13.11:

“Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.” Existem coisas que só receberemos através dos outros para nos manter humildes e precisamos estar dispostos a aprender. Hebreus 5.11: Quanto a isso, temos muito que dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender. Nesse contexto, é muito perigoso mantermos em comunhão uns com os outros, congregando, pois quem se isola fica vulnerável, como nos mostra Provérbios 18.11: A riqueza dos ricos é a sua cidade fortificada, eles a imaginam como um muro que é impossível escalar.
Um dos objetivos do diabo é induzir-nos a deixarmos de congregar, pois quando nos isolamos, quebramos o fluxo da sabedoria Divina sobre nossa vida. Se deixarmos de nos alimentar com os fundamentos da Palavra, não estaremos aptos a digerir o alimento sólido. “Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido. Existe um permanecer na Palavra.” João 15.7

O tempo que passamos com a Palavra é o tempo que o Espírito Santo tem para MINISTRAR a VONTADE de Deus para nossa vida. A instabilidade é uma característica de imaturidade. Devemos caminhar à luz da Palavra e não
tomar decisões baseadas em nosso temperamento e personalidade. “A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho.” Salmos 119.105

A forma como uma pessoa administra uma situação de pressão diz muito a respeito do seu caráter, se já atingiu ou não a maturidade, pois nos fala sobre o quanto o espírito da pessoa está treinado e as emoções sob controle. Quando nascemos de novo, nossa alma guarda memórias. Uma pessoa madura entende o quão é nocivo guardar mágoas. Não fomos chamados para fazermos justiça com nossas próprias mãos. “Por isso digo: vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne. Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam.”

Gálatas 5.16-17
Aprenda a se alegrar com a conquista das pessoas. Não deixe a inveja te fazer um ladrão de alegria. “…e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti,
que os que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.”

Compartilhe
Deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *