X
Menu
X

Áudios

As manifestações do Espírito Santo – Parte II
Deus nos deu uma ordem: pregar o Evangelho. E com essa ordem Ele enviou ferramentas, as manifestações do Espírito Santo. Elas vêm para que o ímpio veja e creia que em Deus. São ao todo nove manifestações do Espírito Santo, que visam sempre um fim proveitoso, determinado pelo próprio Deus. A Igreja deve entender a importância desses dons espirituais para que sejamos testemunhas de Cristo. Esses dons vêm com a capacitação sobrenatural que ocorre no batismo com o Espírito Santo. Vem também a capacidade de falar em outras línguas, que uma importante ferramenta de edificação pessoas. As manifestações, no entanto, são para edificação dor Corpo de Cristo e como sinal para os incrédulos. Assim, aliadas ao fruto do Espírito, as manifestações do Espírito Santo nos capacitarão para testemunha que Cristo Jesus vive.
Graça capacitadora
Na velha aliança era necessário esperar por sinais e profetas para ter uma direção da parte de Deus, mas na nova aliança o Espírito Santo vem sobre nós e habita dentro de nós, não por merecimento, mas pela Graça. Deus diz para Paulo que ele possui uma capacitação de andar naquilo que Ele deseja para nós, pela Graça, por meio de Cristo Jesus. Esse poder se aperfeiçoa na fraqueza, na incapacidade de resolver sozinho. É nesse momento que ele dá glórias a Deus, porque agora com o poder disponível na Graça, se torna possível a resolução da incapacidade. Justamente nas horas que não conseguimos sozinhos, é quando o poder de Deus entra em ação, quando damos glórias a Deus, diante da adversidade, o poder de Cristo vem habitar em nós, para que assim possamos mudar a circunstância.
Discernindo as Oportunidades
Devemos manter a expectativa pela volta de Jesus. O momento de exaustão vivido por este mundo remete-nos às ações e energias finais do nosso adversário, que tenta dar suas últimas investidas. Nesse momento, a fé é fundamental para tudo que desejamos realizar, pois fortalece nossos desejos em Deus e fortifica e estabelece a comunhão com o nosso Pai. O desejo de manter relacionamento com Deus, intensifica nossa comunhão de filho para com Ele. O relacionamento entre o Pai e a igreja é simples e de intimidade. O Espírito Santo afina o nosso espírito para comunicar o som puro da voz do nosso Pai. Essa voz fala aos nosso corações a todo momento, não percamos isso.
A minha Graça te basta
Há um poder de Deus que opera dentro de nós, a graça capacitadora. Não se trata de um esforço para viver na graça, mas é um lugar bom de se estar, que preservamos aquilo, e a santidade é uma consequência. Esse poder, ele se realiza e se completa, na nossa fraqueza, ou seja, na nossa incapacidade de realizar sozinho. Essa graça se faz completa quando reconhecemos que não somos capazes. Ela é suficiente, não somente para realizar determinado desafio, mas para que vivemos alegres e leves. E por causa dela, que nos alegramos, porque entendemos que não depende de nós. Podemos crescer na graça capacitadora, e há uma expectativa de Deus que avancemos nela, que sejamos extraordinários.
As manifestações do Espírito Santo – Parte I
A ignorância não é incentivada pela Bíblia. Onde há ignorância, há uma oportunidade do diabo nos fazer cativos. Porque o povo ignorante é um povo prestes a perecer, mas o que conhece o seu Deus e permanece na palavra, fará proezas. Jesus foi comissionado com a unção do espírito para libertar, curar. Assim como Jesus foi enviado, Ele nos envia de baixo da unção do Espírito Santo. As manifestações do Espírito Santo são como uma sineta, anunciando que Deus está agindo. Na igreja de Corinto, eles se moveram nos dons sendo testemunhas de que Jesus estava realizando milagres. E os dons continuam disponíveis para a igreja até que Ele volte.
Permaneça inabalável
As pressões estão presentes todos os dias na nossa vida. Elas sempre virão, mas nossa luta contra o diabo é espiritual. Devemos ter a consciência de que não é na nossa força natural. Em Deus vencemos todas as coisas. Nossa fé tem que estar no que é eterno, e isso precisa permanecer firme dentro de nós. Ficar firme em Deus, que é diferente de ficar parado, é estar em movimento, é frutificar, sem abrir mão de falar e crer no que a Palavra nos diz a nosso respeito. Deus nos deu a fé para vivermos essa vida. Então, se crermos que recebemos, assim será feito. Quando estamos vivendo um dia ruim, permanecemos na Palavra e, ao vencermos esse dia, continuaremos inabaláveis na Palavra.
Chamados para governar
Jesus por herança recebeu a autoridade quando ressuscitou dentre os mortos. Deus o tirou do inferno e colocou à sua destra, em posição de autoridade. Recebeu autoridade por obediência de ir a cruz, por conquista por despojar todos os principados e potestades e por doação, pois foi ungido pelo Pai, não se apegou a ser igual a Deus, como homem operou todas as coisas e Deus lhe deu o nome que está acima de todo nome. Cristo conquistou essa autoridade e deu à Igreja para estabelecer o seu reino na terra, em Seu nome. Assim, nós não temos força física para parar o diabo e as potestades, mas pelo poder delegado a igreja, nós podemos dar um basta em toda ação maligna.
Deus dá o crescimento
Nossa vida espiritual, à semelhança da vida natural, é uma jornada em que há a necessidade do crescimento. Precisamos amadurecer espiritualmente para que possamos experimentar de uma vida plena. Há fases em nosso crescimento espiritual que possuem características próprias. Devemos nos avaliar para compreendermos em qual delas estamos e ter em mente que sempre buscamos a maturidade.
Crede em Deus
Sempre que Deus no dá uma palavra acerca de uma determinada área da nossa vida, é sinal de que Ele que nos desenvolver nela. Precisamos receber a Palavra com fé, sabendo que Deus é fiel para cumpri-la. A Igreja está vivendo um momento desafiador e precisa, mais do que nunca, compreender que o poder de Deus, através da Sua Palavra, está disponível para realizar milagres, assim como foi no passado. Basta que a nossa fé esteja e operação e experimentaremos a intervenção do poder de Deus em todas as áreas das nossas vidas.
Deus é Suficiente
A Bíblia nos conta a respeito de Ana. Ela não tinha filhos, numa época e sociedade em que o valor da mulher era ser mãe. Isso era motivo de grande dor para ela. Contudo, Deus ouviu o seu clamor e concedeu um filho que mais tarde se tornou o profeta Samuel. Da mesma forma, podemos nos encontrar pressionados pelas circunstâncias. Mas, de uma forma ainda melhor que Ana, uma vez que estamos numa Aliança superior, podemos confiar em Deus e nos levantar em fé, sabendo que o nosso Pai cuida de nós.