X
Menu
X

Filipe Real

Consciência da eternidade
A Salvação é, por si mesma, maravilhosa em sua essência. Mas, o Senhor, por meio dela, nos tornou filhos de Deus, derramando sobre nós a cura, provisão, libertação, prosperidade... Essa é a vontade dele para conosco. Com todas essas bênçãos podemos andar em triunfo e conquista por meio de Cristo. Contudo, não podemos achar que tudo que Deus tem para nós abrange apenas o material. Devemos ter a consciência da eternidade e olhar para a nossa esperança com Cristo. Segundo sua Palavra, ele está conosco e, em tudo, deve ser glorificado e exaltado. Por isso, com os olhos na eternidade, devemos saber e viver com a certeza de que venceremos.
Se veja como Deus te vê
O Senhor tem expectativas em nossas vidas, Ele nos deu um propósito mesmo antes de nascermos, e não muda de opinião ao nosso respeito. Deu vê além daquilo que conseguimos enxergar. Como foi com Gideão, que olhava para suas limitações, mesmo quando o Senhor disse que ele livraria Israel das mãos dos midianitas. O Senhor, muitas vezes vai comunicar coisas a nós que naturalmente não conseguiríamos perceber, mas o Ele já viu nosso futuro e está conosco. Precisamos nos ver como o Senhor nos vê. A falta de expectativa nas coisas que o Senhor fala nos priva de viver a plenitude que Deus deseja que nós vivamos. Não devemos renunciar ao que o Senhor nos disse, o Senhor tem uma promessa para cada um de nós, independente do que o mundo está dizendo. Não é na nossa própria força e sim na força do Senhor.
Relacionamentos
A Palavra de Deus nos mostra, no livro do Gênesis, que Deus, logo após ter criado o homem, viu que não era bom que ele estivesse só. Por isso criou uma ajudadora idônea, para que juntos pudessem reinar sobre a criação. Não se trata de um acidente de percurso, o qual foi corrigido pelo criador, mas de um plano que incluía uma das necessidades do ser humano: a de se relacionar com seus iguais. Além do relacionamento com Deus, que deve ser nutrido em nossas vidas, precisamos, também, de nos relacionar com as pessoas ao nosso redor. Não importa se temos dinheiro, muitos bens ou um cargo importante em uma empresa ou organização, só haverá uma riqueza verdadeira se tivermos relacionamentos.
Permaneça inabalável
As pressões estão presentes todos os dias na nossa vida. Elas sempre virão, mas nossa luta contra o diabo é espiritual. Devemos ter a consciência de que não é na nossa força natural. Em Deus vencemos todas as coisas. Nossa fé tem que estar no que é eterno, e isso precisa permanecer firme dentro de nós. Ficar firme em Deus, que é diferente de ficar parado, é estar em movimento, é frutificar, sem abrir mão de falar e crer no que a Palavra nos diz a nosso respeito. Deus nos deu a fé para vivermos essa vida. Então, se crermos que recebemos, assim será feito. Quando estamos vivendo um dia ruim, permanecemos na Palavra e, ao vencermos esse dia, continuaremos inabaláveis na Palavra.
Andando a Segunda Milha
No livro de Esdras, houve um rei muito querido chamado Ciro, rei da Pérsia. Ele foi um grande administrador, estrategista e legislador. Uma das leis promulgadas por ele foi o serviço compulsório aos servidores do governo. Essa norma dizia que pessoas que respondiam pelo governo podiam delegar tarefas, como obrigar as pessoas a caminhar mais uma milha além do que havia sido proposto inicialmente. Jesus diz na palavra para fazermos além do que foi dito, ou seja, caminhar a próxima milha. Jesus nos ensina que, nós como cristãos, fomos chamados para sermos além da média, sermos excelentes em tudo que fizermos.
Inconformados
Cada ser humano é peculiar. O que somos hoje é o resultado de nossas experiências, decisões e influências que recebemos. Quando não tínhamos Jesus, nossa influência era o mundo, que repousa no maligno. Porém, quando nascemos de novo, temos uma nova natureza e estamos sujeitos à influência de Deus e da Sua Palavra. O apóstolo Paulo nos exorta a não tomarmos a forma deste mundo. Há sempre o perigo de abrirmos certas concessões para nos conformarmos, ou seja, tomarmos a forma do mundo. Por isso, devemos renovar a nossa mente pela Palavra. Só assim experimentaremos a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Desse modo, não nos contentaremos com a falta, a escassez, a doença e todas as coisas que não são a vontade de Deus. A inconformidade muda o destino da nossa vida!
Gratidão que gera mudança
Certa vez, Jesus curou um grupo de dez leprosos, mas apenas um voltou para agradecer. Essa passagem traz consigo um princípio importante para vivermos uma vida plena em Deus: a gratidão. Esse é um princípio poderoso que pode ativar muitas coisas na nossa vida. A gratidão abre caminho para a provisão de Deus. Devemos ser gratos a cada pessoa que foi canal para nos abençoar, ainda que não seja crente, devemos demonstrar a nossa gratidão. Andar nesse princípio vai mudar a sua vida!
Há poder no Nome
Deus amou o mundo e enviou seu Filho para morrer por todos, a fim de que sejam salvos todos os que crerem no seu nome. Ele se esvaziou de sua Glória e se tornou um ser humano, sacrificando-se na cruz. Porém, ao ressuscitar, o nome de Jesus foi colocado acima de todo nome, sendo a fonte de toda a autoridade nos céus e na terra. Ele também entregou Seu nome à Igreja, para que todos os que o receberam possam viver uma vida nessa autoridade, acima de todas as circunstâncias.
Não despreze os pequenos começos
https://verbodavidacampogranderj.com.br/obreiros/wp-content/uploads/2020/07/Filipe-Real-domingo-manhã-dia-28-06-2020-EDITADO.mp3  
Movidos por compaixão
A compaixão é a uma dor própria causada pela dor do outro, gerando em nós um movimento, uma ação correspondente que possa trazer alívio àquele que sofre. Durante todo o ministério de Jesus aqui na Terra, podemos observar que Ele se movia em compaixão pelas pessoas e isso alterava diretamente o curso da vida delas, milagres e transformação eram manifestados através da compaixão de Jesus. “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.” – João 13:35. É para um tempo como esse que a igreja foi chamada, Jesus nos chama para sermos seus discípulos, seguidores que serão reconhecidos pelo amor que andamos uns com os outros, e através desse amor que nos transformou, levarmos também ao mundo a resposta que eles precisam, movidos por compaixão.