X
Menu
X

Marcela Chianca

Espírito e Vida
A Igreja é algo que nasceu no coração de Deus, e se deixarmos de entender isso, deixamos de usufruir do nosso propósito. Ela é uma luz que o Senhor dispensou para iluminar o mundo. Nós somos portadores da luz e sustentadores da Palavra de Deus. Não estamos mais debaixo da lei do pecado que gera a morte, mas estamos debaixo da lei do Espírito, que é vivificador. O Espírito de vida está em operação sobre nós, para realizar sonhos, milagres e prodígios. Se um rio natural pode produzir vida em lugares secos, muito mais coisas pode fazer o rio do Espírito que está dentro de você. Há vida disponível para ser manifestada em lugares onde a morte entrou, por meio do fluir do Espírito Santo.
É o Tempo
A Bíblia afirma que há tempo de semear e tempo de colher. Muitas vezes, ao falarmos sobre sementes, nos referimos apenas a finanças, no entanto, é muito além disso. Devemos estar conectados para saber como nos mover a cada dia, para entender o que depende de nós para usufruir o que Deus já preparou. Vários fatores contribuem para o sucesso da semente: terra, luz, saúde da semente. Esse é o processo da semente natural. O que vivemos hoje foi resultado do que plantamos ontem. É tempo de plantarmos, e de colhermos o que plantamos anteriormente. O tempo da colheita, pode parecer um tempo de descanso, mas não é! É tempo de trabalho, de preparar todas as coisas para o recebimento da colheita.
Mesa: Passagem ou Descanso?
A mesa, na nossa vida, tem sido apenas um lugar de passagem ou de descanso? Em nossa casa, tem sido um lugar onde apenas sentamos rápido comemos e saímos, ou onde paramos, descansamos, compartilhamos da vida? Da mesma forma, como chegamos a um culto e como tem sido nossa vida com Deus? Apenas por um protocolo, de passagem? Ou temos tido um momento de qualidade, onde encontramos de fato descanso, refrigério? Essa mesa de comunhão deve ser nosso lugar de intimidade, onde nos renovamos, criamos experiências com Senhor e adquirimos instruções. O Senhor tem nos chamado para uma vida de qualidade com Ele. Que não deixemos as correria do dia a dia, onde a maioria ainda que lícita, tira de nós o tempo de qualidade dessa mesa de comunhão.
As manifestações do Espírito Santo – Parte II
Deus nos deu uma ordem: pregar o Evangelho. E com essa ordem Ele enviou ferramentas, as manifestações do Espírito Santo. Elas vêm para que o ímpio veja e creia que em Deus. São ao todo nove manifestações do Espírito Santo, que visam sempre um fim proveitoso, determinado pelo próprio Deus. A Igreja deve entender a importância desses dons espirituais para que sejamos testemunhas de Cristo. Esses dons vêm com a capacitação sobrenatural que ocorre no batismo com o Espírito Santo. Vem também a capacidade de falar em outras línguas, que uma importante ferramenta de edificação pessoas. As manifestações, no entanto, são para edificação dor Corpo de Cristo e como sinal para os incrédulos. Assim, aliadas ao fruto do Espírito, as manifestações do Espírito Santo nos capacitarão para testemunha que Cristo Jesus vive.
Discernindo as Oportunidades
Devemos manter a expectativa pela volta de Jesus. O momento de exaustão vivido por este mundo remete-nos às ações e energias finais do nosso adversário, que tenta dar suas últimas investidas. Nesse momento, a fé é fundamental para tudo que desejamos realizar, pois fortalece nossos desejos em Deus e fortifica e estabelece a comunhão com o nosso Pai. O desejo de manter relacionamento com Deus, intensifica nossa comunhão de filho para com Ele. O relacionamento entre o Pai e a igreja é simples e de intimidade. O Espírito Santo afina o nosso espírito para comunicar o som puro da voz do nosso Pai. Essa voz fala aos nosso corações a todo momento, não percamos isso.
As manifestações do Espírito Santo – Parte I
A ignorância não é incentivada pela Bíblia. Onde há ignorância, há uma oportunidade do diabo nos fazer cativos. Porque o povo ignorante é um povo prestes a perecer, mas o que conhece o seu Deus e permanece na palavra, fará proezas. Jesus foi comissionado com a unção do espírito para libertar, curar. Assim como Jesus foi enviado, Ele nos envia de baixo da unção do Espírito Santo. As manifestações do Espírito Santo são como uma sineta, anunciando que Deus está agindo. Na igreja de Corinto, eles se moveram nos dons sendo testemunhas de que Jesus estava realizando milagres. E os dons continuam disponíveis para a igreja até que Ele volte.
Um novo mandamento
Jesus mostra servidão para com os discípulos, em toda sua trajetória Ele cuidou para que houvesse um caminho de servidão para que pudéssemos ver nEle o verdadeiro exemplo em tudo que pregava. Jesus, após a ceia, deixa um Novo Mandamento. Amar uns aos outros como Ele nos amou. Não existe a possibilidade de amar a Deus, sem expressar o amor aos outros. Amor incondicional, ainda que nos prejudique, nossa atitude de amor não estará atrelada a condição de ter algo em troca.
Páscoa – Recomeços
A morte é de fato, como uma separação assim como a ressurreição é a religação a vida, uma segunda chance. A ressurreição de Cristo deu à humanidade uma segunda chance. Depois que ele ressuscitou começou um novo tempo, não só em Jesus que ganhou um nome a cima de todo nome, começou pra humanidade um tempo de redenção, um novo tempo com Deus, o tempo de ter Deus como Pai, o tempo da Graça.
Ressureição
A morte de Cristo levou nossos pecados, nos trazendo de volta à condição que tínhamos antes, como se nunca tivéssemos pecado. E porque Ele morreu por nossos pecados, porém Ele mesmo não pecou, os grilhões da morte não puderam detê-lo no inferno, e Ele ressuscitou. Quando Jesus morreu e ressuscitou, para mudar nossa condição, trouxe esperança da sua volta e de que juntos reinaremos com Ele.
Temor, a chave da prosperidade
Quando chegarmos a Cristo, descartamos a velha roupa, colocamos uma nova e assim, arrancamos as coisas antigas, nossa natureza é modificada e tudo se faz novo. Nossa condição de pecadores se modificou, hoje somos justiça de Deus. Quando compreendemos o caráter de Deus, sua reverência, aprendemos a obediência, desenvolvemos o temor e somos aperfeiçoados. Quando temos o temor ao senhor, não nos arriscamos, porém se formos irreverentes, andamos por caminhos perigosos. Devemos desenvolver um estilo de vida com tremor e temor, assim desenvolveremos a nossa salvação. Precisamos compreender que nosso Pai está ao trono, continua sendo bom, sendo amor, bem como justiça.