X
Menu
X

Jesus

Movidos por compaixão
A compaixão é a uma dor própria causada pela dor do outro, gerando em nós um movimento, uma ação correspondente que possa trazer alívio àquele que sofre. Durante todo o ministério de Jesus aqui na Terra, podemos observar que Ele se movia em compaixão pelas pessoas e isso alterava diretamente o curso da vida delas, milagres e transformação eram manifestados através da compaixão de Jesus. “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.” – João 13:35. É para um tempo como esse que a igreja foi chamada, Jesus nos chama para sermos seus discípulos, seguidores que serão reconhecidos pelo amor que andamos uns com os outros, e através desse amor que nos transformou, levarmos também ao mundo a resposta que eles precisam, movidos por compaixão.
O ministério do Espírito Santo
Essa ministração está baseada em João 14:16, onde Jesus diz que enviaria outro Consolador. A palavra outro, significa um do mesmo tipo. A palavra Consolador é a junção de duas palavras. Que significa chamado para estar ao nosso lado. Nessa ministração, vamos ver que o Espírito Santo é uma duplicata de Jesus, e foi chamado para estar ao nosso lado.
Poder para ser testemunha
Jesus foi ungido com Espírito Santo e poder, andou por toda parte fazendo o bem e curando todos os oprimidos (Atos 10:38). Jesus afirmou que os que creem Nele, fariam as mesmas obras que Ele fez (João 14:12), desde que recebessem o Espírito Santo sobre si (fossem ungidos), Atos 01:08.
Onde está sua felicidade?
por  Renata de Queiroz Goulart A Bíblia diz que onde estiver seu tesouro, aí também estará seu coração (Mateus 6:21). A palavra traduzida por tesouro é “thesauros” que significa o lugar no qual coisas boas e preciosas são colecionadas e armazenadas. Seja sincero consigo, quais seriam as coisas preciosas que você tem armazenado? A que seu […]
Manifestando o amor
O amor incondicional não levou em conta os nossos erros e pecados, foi ilimitado, um amor que não perdoa pela metade, mais um amor que nos perdoou totalmente. João 3:6, nos mostra o amor que devemos amar nossos irmãos, assim como Cristo nos amou. É importante que a igreja seja o sal e a luz deste mundo, pois quando Jesus andou em nosso meio, Ele manifestou este amor em ações suprindo a necessidade de cada um. É importante sermos a igreja viva de Deus nesta terra, e deixar a chama queimar, a ponto de atingir quem estiver ao nosso redor.
Excelência é um fruto de honra – Culto da noite
A primeira pregação pública de Jesus relatada na Bíblia (Lucas 4), trata sobre a Honra e sobre a capacidade que sua prática traz de frutificar até mesmo para aqueles que, porventura, não tivessem ainda aliança (caso de Naamã e da viúva de Sarepta). Nós cristãos devemos transferir esta atitude de honra também aos serviços que nos são confiados. Garantindo assim a frutificação destes como ocorreu com José no Egito ou Daniel na Babilônia. O “espírito” de excelência (Honra ao Serviço), é uma das maneiras que temos de glorificar o nosso Deus.
A Revelação do Amor
Daniel 11:32b, nos diz que o povo que conhece ao seu Deus, se tornará forte e fará proezas. Quando o amor de Deus é revelado dentro de nós, assim como foi para Jesus, não iremos ceder a tentação, porque teremos a convicção que somos filhos amados, Lucas 3:22. Assim como essa revelação chegou na vida de João transformando a sua vida: “EU SOU O DISCÍPULO A QUEM JESUS AMA”, que essa revelação caia no bom solo do nosso coração.
por Isabelle Mendes No jardim eles eram íntimos, criados para ser uma família, se encontravam sempre na viração do dia e conversavam debaixo daquele cenário lindo que era o colorido do céu. Mas um dia, seu filho tão amado, sua obra de arte, sua própria criação, decidiu desobedecer ao Pai. Achando que Ele jamais perceberia seu erro, ficou […]
Recepcionando Jesus
A percepção determina a recepção e a recepção determina a nossa recompensa. Devemos perceber e celebrar a presença de Jesus; é nisto que estará determinada a nossa recompensa, estando cientes de que Jesus estará sempre atento aos nossos convites através da motivação do nosso coração, como no caso do Centurião de Cafarnaum e do convite do fariseu Simão.