X
Menu
X
Igreja Evangélica Verbo da Vida
Recife - Zona Norte

ANDANDO EM COMPAIXÃO | Eduardo Menezes | 05/05/2019

“Quando o conhecimento que temos de Deus está dissociado do amor, passamos a ser uma religião autorreferenciada, que está voltada para si sem se importar com aqueles que estão ao nosso redor”. Na manhã deste domingo (05/05), o ministro Eduardo Victor apresentou algumas chaves para que andemos em compaixão, ensinando-nos acerca da necessidade de amarmos os nossos semelhantes de tal forma que sejamos movidos pelo desejo de encontrar soluções, e não explicações religiosas, para situações em que eles se encontram.

Confira o resumo da mensagem!

Associado ao mandamento de amar a Deus com todo nosso coração está o mandamento de amarmos ao próximo como a nós mesmo. Não adianta amarmos a Deus e esquecermos os irmãos, pois ambas as coisas andam juntas.

Quando o conhecimento de Deus está dissociado do amor, passamos a ser uma religião autorreferenciada, ou seja, voltada para si mesma sem se importar com o que ocorre ao nosso redor. Não basta, portanto, saber, precisamos nos mover em direção ao próximo, pois esse é o desejo do Senhor.

De que forma aquilo que você está aprendendo está fazendo com que você se mova para ajudar os que estão ao seu redor?

Deus não tem expectativa que você resolva todos os problemas, mas Ele espera que, dentro da sua esfera de atuação, você esteja sensível para a necessidade de quem está ao seu lado e possa demonstrar compaixão, pois essa, diferente da pena, que é um mero sentimento, carrega uma atitude de coração no sentido de ajudar o outro.

Além disso, precisamos nos desprender da consciência de pecado, pois ela afeta a visão que temos sobre os outros e faz com que olhemos os erros de alguém para justificar a situação em que aquela pessoa se encontra. Tal comportamento, por sua vez, nos coloca  numa posição de comodismo e faz com que nos sintamos isentos de responsabilidade com relação aquela vida. No entanto, quando olhamos para Jesus, vemos que Ele não procurava uma explicação para situação das pessoas, apenas trazia uma solução.

As pessoas não estão procurando os porquês, elas apenas querem uma resposta que as faça sair da situação em que se encontram. Nós carregamos um estoque de soluções, por isso precisamos ir ao encontro daqueles que precisam do que foi depositado em nós. Mas, ao fazê-lo, devemos conservar um padrão que faça com que as pessoas vejam Deus refletido na nossa vida, pois quando não apresentamos santidade, não temos crédito naquilo que falamos e somos apenas mais um.

A santidade a ser revelada quando nos movemos em direção aos nossos semelhantes em amor e compaixão não é algo que produzimos na força do nosso braço, mas é um fruto do nosso relacionamento com Deus, que faz com que aprendamos a olhar sobre a Sua perspectiva e a enxergar valor não apenas dos outros, mas também em nós mesmos.

Essas são as chaves para andarmos em compaixão:

  1. Ter um relacionamento vigoroso e íntimo com Deus, tendo a visão certa acerca do Seu caráter para que possamos apresentá-Lo corretamente;
  2. Ver os perdidos como Deus os vê;
  3. Ver a si mesmo como Deus o vê, pois para que possamos ser portadores da compaixão de Deus precisamos desenvolver a consciência que somos aqueles que têm respostas.

Versículos de referência:

Lucas 10:25-37 | Deuteronômio 6:5 | João 4:20 | Tiago 1:27

 Texto por: Heloísa Azevedo

Compartilhe
Deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *